Templo Caboclo Pantera Negra

Educação, bondade e gentileza de caráter na religião tradicional africana

Por Mario Filho

 

Ìwà Pẹ̀lẹ́

Os conceitos na língua Yorùbá são muito difíceis de serem traduzidos, pois é uma língua antiga, portanto de difícil compreensão para aqueles que não a dominam totalmente. Na Nigéria há vários centros de estudos da língua Yorùbá, que tentam resgatar toda sua beleza.

 

Para que os leitores possam compreender melhor este texto há dois conceitos que devem ser analisadas de antemão. Um é o Ìwà Pẹ̀lẹ́ e o outro é o Ìwà Rere:

 

Contextualizando

Ìwà Pẹ̀lẹ́ é considerado pelos Yorùbás como a representação do bom caráter e está relacionado com a capacidade prática de provocar mudanças evidentes de energia. Na religião tradicional Yorùbá isso é de suma importância, já que o caráter do homem demonstra seu coração e Olòdúmarè (Deus), o qual é chamado de “O buscador de corações”, vai em busca de nossos corações analisando-o sempre. Nas religiões tradicionais o coração desempenha papel importante.

 

Ìwà significa caráter, a energia da vida. Ìwà é o que caracteriza uma pessoa sob o ponto de vista ético. Para ser feliz uma pessoa deve ter Ìwà Pẹ̀lẹ́, pois quem tem bom caráter não entra em choque com os seres humanos, nem com os poderes sobrenaturais. Esse é o mais importante dos valores morais (prática da ética) Yorùbá, e a essência da fé consiste em cultivá-lo.

 

Quando dizemos que uma pessoa tem bom Ìwà é porque em suas relações pessoais demonstra as qualidades corretas de um bom indivíduo. Esse é um dos conceitos básicos da religião tradicional Yorùbá, já que o bem-estar, seu desenvolvimento na vida, inclusive a extensão de seu caráter, será regido por Ìwà.

 

As ações diárias ou o viver cotidiano são produzidos pelo subconsciente, isso não é mais que o reflexo dos feitos, pensamentos e atitudes da vida. Uma pessoa em harmonia com a vida, está de acordo com o princípio universal e recebe, de uma maneira acelerada, as coisas boas da vida. O bom caráter é um escudo de proteção suficientemente sólido contra qualquer acontecimento, por duro, difícil ou extremo que pareça. Quem o possui a nada teme. Há um provérbio africano que diz que um bom caráter é armadura suficiente contra qualquer acontecimento desfavorável na vida, qualquer um que tenha um bom caráter não precisa temer nada. Há um Odù de Ifá que diz: “O bom caráter é a salvaguarda do ser humano, os covardes e temerosos carecem de proteção devido à sua moral e caráter”.

 

Não se deve confundir Ìwà com reputação. Nosso Ìwà é conhecido por nossa consciência e é imortal, vem de Olòdúmarè (Deus). A reputação, ainda que pareça com Ìwà, não é nada mais que um termo dado a nós pelos humanos, portanto é mortal e não o representa, já que há pessoas com boa reputação que não tem nem boa alma, nem bom coração, portanto não é Ìwà. Ao termos Ìwà Pẹ̀lẹ́ alcançaremos uma boa reputação. Nossa boa reputação ajuda a construir boas relações sociais. Essas relações sociais ajudam a construir uma comunidade forte e íntegra para nossos filhos e netos.

 

No corpus de Ifá, Ọ̀rúnmilá nos expressa isso nos seguintes Odù:

 

1) “Venha e olhe as inumeráveis crianças de Ìwà.
Ìwà leva as crianças em seus braços,
Venha e olhe as inumeráveis crianças de Ìwà.
O caráter é tudo o que se requer,
Não há nenhum destino a ser chamado de infeliz en Ife.
O caráter é tudo o que se requer.”

 

2) Ìwà Pẹ̀lẹ́ l’okùn ayé,
Fi í rọ́ pẹ́tí l’ọ̀wọ̀ ẹni.
Ó dá fún Ọ̀rúnmìlà
Tí ó fi Ìwà Pẹ̀lẹ́
Gbà okùn ayé l’ọ̀wọ̀ ọ̀kànlénírinwó Imọlẹ̀

 

O bom caráter é o que habilita o fio da vida,
Para tornar-se indestrutível na mão de alguém.
Assim declarou o Oráculo a Ọ̀rúnmilá
Quem, por meio do bom caráter,
Irá ganhar o fio da vida dos 401 Irúnmalè.

 

3) Não só há que ter bom caráter,
Mas colocá-lo em prática.

 

A lenda de Ìwà é relatada na literatura de Ifá1

 

“Ìwà era uma mulher de rara beleza com quem Òrúnmílà se casou. Entretanto, apesar de sua beleza, tinha maus costumes e falava demais, sendo ainda preguiçosa e irresponsável. Depois de algum tempo ele, não podendo suportar seu mau comportamento, mandou-a embora. Quando Ìwà partiu, Òrúnmílà viu que não podia viver sem ela. Perdeu o respeito dos vizinhos, sua prática divinatória perdeu o valor, seus clientes se afastaram, ficou sem dinheiro, enfim perdeu tudo.

 

Vestiu-se de Egúngún e saiu por aí, à procura de Ìwà. Foi à casa dos 16 chefes de Ifá à procura da esposa, cantando na porta de cada um: “Grande Sacerdote de Ifá de Ajeró, é Ìwà que estou procurando. Se você tem dinheiro, mas não tem Ìwà, o dinheiro não é seu; se alguém tem filhos, mas não tem Ìwà, os filhos são de outra pessoa; Ìwà, Ìwà é que nós procuramos… Todas as boas coisas da vida que um homem tem, se ele perder Ìwà, elas passam a pertencer à outra pessoa. Ìwà é o que estamos à procura!” Depois de grande procura achou Ìwà casada com Olójo. Este se recusou a devolvê-la, e brigaram. Ọ̀rúnmilá, que havia oferecido um sacrifício antes de sair, venceu a luta e levou Ìwà de volta para sua casa.

 

Ao analisarmos a lenda vemos que Ìwà é simbolizada por uma mulher, porque para os Yorùbá a mulher representa os dois extremos: o amor (o bem) e a deslealdade (o mal). Ìwà pode ser bom ou mau. A lenda mostra, ainda, que o homem deve cuidar de seu caráter tão bem como cuida de sua esposa. A sociedade não pode sobreviver sem a mulher, da mesma forma que não se pode ser feliz sem ter bom caráter. Os versos da lenda significam que o homem que tem todos os bens materiais, mas não tem caráter, provavelmente irá perder tudo para uma pessoa de caráter. Ìwà é o atributo de maior valor entre todos no sistema Yorùbá.

 

Outro Odù de Ifá nos fala das pessoas que, cegas pelo poder ou que creem que devido a este a energia do universo é sua, manifestam mudanças que provêm de seus interesses pessoais, a arrogância ou a ira, e não de seu bom caráter, de Ìwà Pẹ̀lẹ́. Exemplo disso vemos em Ogbè Ìwòrì que nos diz que quem tem muito amor pela riqueza perde seu bom caráter. Em certas ocasiões os habitantes do mundo declararam que nada era mais importante que o dinheiro e eles descartariam qualquer coisa para correr atrás dele. Ọ̀rúnmilá lhes disse que deveriam pensar mais em Ifá e não honrar tanto o dinheiro. O conhecimento disto os levaria a desfrutar uma vida estável, saudável e de muitos anos de existência. Disse-lhes: “têm muito dinheiro, mas estão loucos, coxos, cegos e enfermos! Para que lhes serviu o dinheiro?

 

Ìwà Pẹ̀lẹ́ um estado de ser ou a maneira de ser, que é alcançado pela prática de nossa vida diária. Nesse estado poderoso que nos sustém podemos obter mais Àṣẹ que podemos imaginar, é o Eu interior (Orì Inu) que nos permite decidir e atuar com integridade, inclusive nos momentos em que é difícil fazê-lo.

 

Podemos aprender, estudar, memorizar, cantar sabermos todos as rezas, tudo referente aos Òrìşà, mas se não exercermos o Ìwà Pẹ̀lẹ́ nunca teremos êxito. As palavras, os cantos, as ideias não se estenderão além das paredes do quarto em que são feitas.

 

Ìwà Pẹ̀lẹ́ se refere ao caráter moderado que nos permite tomar decisões cruciais que afetem o contexto do mundo em que vivemos. Em síntese, representa o que é correto universalmente e não algo arbitrário que possa alimentar nosso próprio Ego; o único caminho que nos permitirá ocupar nosso lugar no mundo de Olòdúmarè (Deus) é cumprir com nossos destinos.”

 

A Ìylòrìṣà Maria Inez (Fatosin) nos traz uma excelente poesia que retrata bem os costumes e a importância que o povo Yorùbá dá à educação e à honra:

 

TỌ́JÚ ÌWÀ RẸ
Tọ́jú ìwà rẹ, ọ̀rẹ́ mi!
Ọlá a ma sí lọ n`ilé eni,
Ewà a sì ma sì l`ára enia,
Olówó òní `ndi olòsì b`ó d´ọ̀la
Òkun l`ọlá, òkun nìgbì ọrọ̀,
Gbogbo wọn l`o `nsí lọ nílé eni;
Ṣùgbón ìwà ni `mbá`ni dé sàréè,
Owó kò jẹ́ nkan fún `ni,
Ìwà l`éwà l`ọmọ enia.
Bí o l`ówó bí o kò ní `wà `nkó,
Tani jẹ́ f´inú tán o bá s`ohun rere?
Tàbí bí o sì se obìrin rògbòdò,
Bí o bá jìnà sí ´wa tí èdá ´nfẹ́,
Taní jẹ́ fẹ́ a s`ilé bí aya?
Tàbí bí o jẹ́ oníjìbìtì enia,
Bi tilẹ̀ mo ìwé àmòdájú,
Taní jẹ́ gbé ´ṣé aje fún o ṣe?
Tọ́jú ìwà rẹ, ọ̀rẹ́ mi,
Íwà kò sí ẹ̀kọ́ d`ègbé,
Gbogbo aiye ni `nfẹ́ `ni t`ó jẹ́ rere.

 

CUIDE DE SUAS MANEIRAS

Cuide de suas maneiras, meu amigo!

A honra pode abandonar nossa casa,

e a beleza, às vezes, acaba.

O rico de hoje pode ser o pobre de amanhã.

A honra é como o mar,

e também a onda da riqueza;

ambas podem escapar de nossa casa.

Mas as boas maneiras acompanham-nos até ao túmulo.

O dinheiro não é nada,

boas maneiras é que são.

Se você tem dinheiro, mas não se comporta bem,

quem irá confiar em você?

Se você é uma mulher muito linda,

mas não se comporta de maneira adequada,

quem desejará tê-la como esposa?

Cuide de suas maneiras, meu amigo!

Se você é muito educado, mas engana as pessoas,

quem confiará em você para negócios?

Sem caráter a educação está perdida.

Todos apreciam aqueles que têm bons modos.

 

Para ter uma vida próspera a pessoa deve desenvolver seu Ìwà Pẹ̀lẹ́. Ìwà Pẹ̀lẹ́ representa o crescimento da beleza interior e a profundidade de caráter. Por nossas ações e interações nós demonstramos que estamos em harmonia ou equilibrados com os conceitos universais e tradicionais da vida, o que mostra nosso respeito a tudo aquilo que faz parte da Criação. Ìwà Pẹ̀lẹ́ abarca a importância da responsabilidade e as consequências que vêm de positivo ou negativo em nossas ações.

 

Ao nos esforçarmos para termos Ìwà Pẹ̀lẹ́ adquirimos alguns atributos fundamentais:

 

 

Referências

  • ALMEIDA, Maria Inez C.. Cultura Yorùbá: costumes e tradições. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2006, p. 16-20

Veja também

A iniciação da mulher em Ifá e o posto de Iyánifá

Por Mario Filho   O envolvimento da mulher na adivinhação de Ifá está e...

Saiba mais

Fora da Tradição não há Iniciação

Por Mario Filho   Meus amigos,   Ando com o meu pavio cada vez mais cu...

Saiba mais
Mais artigos publicados em cultura yorùbá / Ifá
Estamos na:
Av. Zumkeller, 973. Alto do Mandaqui - São Paulo, SP
Av. Zumkeller, 973. Alto do Mandaqui - São Paulo, SP
Saiba como chegar pelo transporte público:
Estação Santana Estação Jardim São Paulo Estação Tucuruvi